Terapias Integrativas: AYURVEDA

O Projeto Coração de Pólen está expandindo com a inserção gradativa de terapias integrativas em seu quadro: hoje apresentamos um pouco a respeito da Terapia Milenar Ayurveda.

Ayurveda e Vegetarianismo


“Nem só de pão vive o homem”
Influenciada pelo Samkya a Medicina Ayurveda adere o conceito das três qualidades da natureza, ou “Maha Gunas” , á saber, satva (esclarecimento/bondade), rajas (mutabilidade/paixão) e tamas (inércia/ignorancia) e compreende que tudo é regido por elas ,inclusive os alimentos, a carne para alguns estudiosos carrega consigo “rajas”, para outros “tamas”, ambas em excessos, se tornam um grande empecilho para quem busca tranquilidade e qualidade mental, seja para acolher os momentos conflituosos da vida ou para a prática da meditação.

Ayurveda e Vegetarianismo


A Medicina Ayurveda não é vegetariana.
Como assim?
Compreende-se que todas as substâncias encontradas na natureza tem o potencial para ser remédio. Lembrando que a diferença entre o veneno e o remédio é a dose.
A carne pode ser um excelente complemento em vários tratamentos integrativos, tais quais os que se dão para a anemia ou reposição de ferro e vitamina B12, por exemplo.
Tudo depende das causas e condições. Em contrapartida é importante atentar as questões sanitárias e sociais que envolvem o consumo da carne, bem como as ambientais. A OMS divulgou há pouco tempo uma interessante matéria sobre o consumo EXCESSIVO de carne e o desenvolvimento do câncer, vale a pena uma pesquisa.

Ayurveda e Alimentação

O Ayurveda entende que o corpo humano é uma máquina metabólica capaz de transformar o alimento e a água em energia e estrutura, o funcionamento dessa máquina se dá mediante a capacidade digestiva. A qualidade do que comemos interfere essa capacidade, por isso a importância de uma alimentação sutil, balanceada e própria para cada organismo, respeitando suas características fisiológicas. Os alimentos também nutrem o corpo sutil interferindo diretamente em nossos humores, conhecer as propriedades energéticas dos alimentos, é fundamental para aqueles que buscam o caminho do equilíbrio emocional e fisico.

O texto acima foi escrito pelo Terapeuta Ayurveda Luiz Yurk. Mais informações e atendimento pelo telefone (41) 3092 67 81, Projeto Coração de Pólen.

Retiram-se os véus: experiência no curso de Reiki nível IIIA

Desenho feito por Cristhyan Segala, gentilmente compartilhado.

Dia 03 de agosto de 2020, segunda-feira, comecei a semana de iniciações de nível IIIA dos estudantes do curso de Reiki. O primeiro dia do curso foi no sábado, 01/08, por videoconferência devido ao momento de isolamento social. Um total de onze iniciações e catorze participantes. Pessoas que, com sua energia dão o suporte para este entendimento que nos veio e que brinda a todos como um “Belíssimo presente, mérito deste grupo, em benefício a todos os reikianos”.

Os irmãos Hewelyn Segala Pultinavicius e Cristhyan Segala receberam a iniciação presencial no Projeto Coração de Pólen no dia 03. As iniciações foram individuais. Os dois tiveram um momento de relaxamento antes do ritual de iniciação.  Hewelyn durante a iniciação viu Mestres de Luz, luzes coloridas e recebeu um entendimento particular sobre o Reiki. Sentiu uma imensa gratidão e felicidade. O Cristhyan enquanto ficou relaxando, sentiu a presença de mestres atrás dele. Neste momento ele estava sozinho na sala porque eu ausentei-me um instante e, “ouvi intuitivamente: Os Mestres estão cuidando do Cristhyan”. Cheguei na sala e comecei o ritual. Quando coloquei os símbolos no seu chakra frontal, depois no laríngeo e no cardíaco, “os véus caíram e compreendi de modo claro, como se alguém estivesse falando para mim aos ouvidos: colocamos símbolos nos chakras que correspondem aos corpos espirituais: laríngeo (frente e atrás), frontal e coronário sendo o cardíaco a ponte entre o céu e a terra” compreendi que os símbolos nestes chakras contribuem para a elevação espiritual agindo simultaneamente nos níveis: físico, mental e emocional. Compreendi o Reiki como um dos instrumentos mais poderosos para elevação da vibração da própria energia, abertura do coração, contato com o propósito de vida, sutilização dos corpos. Entendi porque o Reiki está aqui neste plano e, em evidência neste momento de elevação da vibração do planeta Terra.

Ao enviar este texto para Hewelyn e Cristhyan para aprovação e permissão de publicação eles acrescentaram questões e, algumas que eu havia deixado por esquecimento. Hewelyn viu uma imagem durante a iniciação que a protegia, em casa, perguntou ao Cristhyan se ele sabia algo a respeito. Ele respondeu que em sua iniciação sentiu que uma armadura era colocada nele conforme reecebia os símbolos. Juntos entenderam ser o símbolo Day Koo Myo, símbolo referente ao nível IIIA do Reiki e reafirma o que, DE’CARLI (2017, p. 388) ensina: “vesti-lo etericamente como meio de proteção”.

Cristhyan a partir da explanação da Hewelyn expressou a experiência vivida por eles com o seguinte desenho.

Outra sensação relatada por Hewelyn foi “(…) no momento da minha Iniciação uma porta na parte de trás do meu chackra cardíaco se abriu e senti ficar bem quente a região na oração final”, isto mais uma vez reafirma aquilo que recebi como compreensão do processo de iniciação deles: “a abertura do coração” que aconteceu vista nesta experiência que chamamos de transpessoal.

O Reiki é um dos inúmeros meios de elevação da vibração dos seres humanos, mas é o que optei em conhecer, estudar, ensinar e aprender com os estudantes que se aproximam de mim. Tenho aprendido tanto e, me emocionado imensamente. Os estudantes trazem relatos de que a “vida deles mudou muito” de modo positivo, falam que o Reiki significou “um divisor de águas para eles”. Os estudantes relatam a presença de seres de Luz, visualizam cores e preenchem-se de Paz, Luz e Amor. Eu amo verdadeiramente o Reiki e, ele representa Vida para mim.

Os autores DE’CARLI, PETTER, HONERVOGT, BARNETT e STEIN trazem em seus livros relatos de estudantes desde a época de Mikao Usui que afirmam que o Reiki mudou consideravelmente a vida das pessoas nos aspectos: físico, emocional, mental e espiritual. Dia a dia constato isso com muita gratidão.

Sugiro que você encontre um (a) mestre (a) em Reiki de sua confiança e conheça esta técnica. Você jamais será o mesmo depois que fizer o nível I do curso de Reiki.

No dia 03 de agosto de 2020 compreendi de modo claro o que está escrito “na pedra memorial de Usui Sensei, no Cemitério Saihoji de Tóquio “O Reiki conquistará o mundo para curar seus habitantes e até o próprio planeta” (PETTER, 2013, p. 13). Sou grata aos estudantes que vem até mim e que me ajudam a compartilhar o Reiki e, a Egrégora do Reiki que conduz todo o ensinamento que hoje, compreendo melhor.

Agradeço a

Hewelyn Segala Pultinavicius;

Cristhyan Segala;

Salmo Segala;

Fátima Piskor Luiz Borges;

Elizabeth Regina Navarette;

Odile Paganotto;

Karyn Christiane Romanow

Laís Aparecida Ganzert

Valéria Maria Missau

Luiz Carlos Schmidt Bueno

Laisa Kritski Braz

Luciana Cristina Forlin Furlan

Waldecir Carvalho de Assis

Referências:

DE’CARLI, Johnny. Reiki: Apostilas oficiais. São Paulo: Editora Ísis, 2017.

HONERVOGT, Tanmaya. Reiki: cura e harmonia através das mãos. São Paulo: Pensamento, 1998.

PETTER, FRANK A. Isto é Reiki. São Paulo: Pensamento, 2013.

PETTER, FRANK A. Manual de Reiki do Dr. Mikao Usui. São Paulo: Pensamento, 1999.

STEIN, Diane. Reiki essencial: manual completo sobre uma Antiga Arte de Cura. São Paulo: Pensamento, 1995.

Reiki_EAD_ Relato de Experiências.

O isolamento social exigiu a adaptação da humanidade junto à tecnologia. As pessoas tiveram que ampliar o seu conhecimento em como utilizar os inúmeros aplicativos, a inúmeras formas em comunicar-se e, também, em estudar. Os professores passaram a gravar aulas e organizar “lives”, segundo REIS (2020) “Live em português significa, no contexto digital, “ao vivo”. Na linguagem da Internet, a expressão passou a caracterizar as transmissões ao vivo feitas por meio das redes sociais” aonde conseguem se aproximar mais de seus estudantes e estes comunicam-se também com o professor tirando dúvidas e falando do seu progresso nos estudos domiciliares.

Neste contexto, e pelo avançar do tempo do isolamento social, decidimos iniciar o curso de Reiki por videoconferência “live” porque vimos a necessidade em retornar os encontros e havia a solicitação dos estudantes. A apostila foi encaminhada por whatsapp com o tempo hábil de sua leitura e marcamos o primeiro encontro para o dia 20.06, sábado, das 15h às 16h30, seguido do domingo de igual modo. Os primeiros momentos foram de ajustes com a tecnologia, adquirida a estabilidade, fomos nos assegurando que o curso transcorreria bem e assim o foi. Ampliamos as horas conforme a necessidade e marcamos novo encontro para praticarmos o Reiki no dia 27.06, sábado seguinte.

Os participantes do curso: quatro mestres em período de estágio (Andréia B. Fernandes, Juliez Gerhardt, Luciana C. F. Furlan e Waldecir C. de Assis), três convidados deles que são os seus primeiros estudantes e nos quais eles fazem a sintonização; uma pessoa que recebeu o curso de modo voluntário do Projeto Coração de Pólen, mais quatro novos inscritos, total: 13 pessoas em uma sala virtual. É interessante e, quem já faz encontros assim, percebe que, em dado momento, parece que todos estamos juntos presencialmente!

A maioria das iniciações foram feitas à distância, duas presenciais por solicitação dos estudantes e os relatos foram impressionantes. Foi dito que aguardassem a iniciação relaxados no dia e na hora programada, se possível um pouco antes, em silêncio, observando a respiração, ouvindo uma música tranquila, podendo estar deitado ou sentado. No dia posterior os mestres entraram em contato com eles e ouviram como foi.

Citaremos três dos relatos,”eu acendi um incenso e uma vela. Fiquei somente na luz da vela e coloquei uma música de Reiki. No início senti muito o terceiro olho vibrando como se tivesse uma mão, depois senti um calor e o pulsar na cabeça. Cheguei a apagar, não ouvia nem a música mas não estava dormindo. Senti uma vibração no estômago. Outra sensação foi ao retornar a consciência uma dormência nas pernas e elas frias que foi normalizando no decorrer, não vi luzes, só a lua”(Lorici Kuhn Corsi, Curitiba), o outro “a sensação que a gente tem é que a pessoa está do lado mesmo. Isto que é interessante do Reiki parece que a gente viaja para outro lugar, ou as duas se encontram em algum lugar específico, dava a impressão que você_um dos mestres_ estava ali passando o Reiki prá mim. Às vezes eu sentia uma mão passando por cima, na cabeça. Vi luz dourada, estava bem claro, tudo clarinho. Não tinha luzes como da outra vez, no nível I, que rodava luz roxa, verde, muitas cores mas, mais o lilás. Agora foi só dourado, dourado, dourado e uma luz mais branca mais clara”(Nádia Severo Moreira, Curitiba) e, para finalizar, “Correu tudo bem. Foi bem intenso. Na hora da iniciação senti algo muito forte. A impressão que tive: conseguia sentir meu sangue circulando pelo meu corpo. Acredito que era a energia. E senti uma pressão na minha cabeça. Parecia que minha cabeça estava pulsando de forma bem intensa. Depois me deu muito sono. E tive uma ótima noite. É complicado descrever mas foi muito bom.”(Fátima Piskor Luiz Borges, São José dos Pinhais).

As experiências acima citadas são transpessoais e muito comuns entre os participantes dos cursos de Reiki embora, alguns, não sintam algo neste sentido na iniciação, sintonização do Reiki mas relatam no decorrer dos dias experiências como a vivência de muita paz, felicidade, leveza e inspiração em todos os âmbitos da vida cotidiana. Gratidão a todos por este novo aprendizado, juntos fizemos acontecer o Reiki, nível II, por vídeoconferência!

Referência

REIS, Emanuel. O que é uma live? Saiba tudo sobre as transmissões ao vivo na Internet. Disponível em:< https://www.techtudo.com.br/noticias/2020/03/o-que-e-uma-live-saiba-tudo-sobre-as-transmissoes-ao-vivo-na-internet.ghtml > acesso em: 28.06.2020.

Renata Jurach Bueno de Assis, mestre em Reiki há 13 anos, Pedagoga, Escritora.

Em tempos de pandemia: o inesperado acontece!

Este retorno obrigatório para casa tem inúmeras interpretações. Vou falar daquilo que parece ilógico: uma máscara no rosto, a respiração quentinha; uma máscara no rosto, um sufocamento ; uma máscara no rosto, um meio para esconder-se; uma máscara no rosto e todos tornam-se mais semelhantes; uma máscara no rosto e … A máscara que me refiro é a do grupo que sente a respiração quentinha, que até gosta e aproveita para interiorizar-se. Vive o agora. Acredito sim que este grupo oscile entre a aflição do isolamento e a interiorização afinal todos nós temos que procurar meios para a manutenção da saúde mental, física, emocional e espiritual. Proponho uma viagem: Retornemos ao momento do parto, aos primeiros dias, meses e anos da espécie humana, Montagu fala que a pele é o maior órgão dos sentidos e que as experiências infantis, positivas de amorosidade e de aconchego, contribuem para que tenhamos adultos mais amorosos, compassivos. Um exemplo, a mãe pode acalentar seu bebê com uma fraldinha, uma mantinha e, ele respirando este calorzinho, adormecer. Esta experiência ficará registrada em sua mente, em seu corpo, em sua pele como algo bom, interpretando deste modo. Eu ouso interpretar e, aí você poderá dizer que é loucura ou delírio do isolamento social, que o calorzinho que sentimos com a máscara no rosto hoje, como aconchegante, para quem o sente assim, pode oferecer novas sinapses e modificar algum padrão energético na pessoa, promover alguma cura que pode estar relacionada com seus primeiros dias de vida, meses, anos e, se assim o for, teremos certamente muitos adultos mais amorosos ao término deste momento de quietude e de interiorização, desta estadia dentro de nossas casas. Desejo-lhe paciência e fé, desejo que adentre no fluxo de vida e se permita viver somente o agora. Sou Renata Jurach Bueno de Assis, Pedagoga, Mestre em Reiki e em meu trabalho de conclusão de curso pesquisei sobre a importância do toque para o desenvolvimento saudável do ser humano desde o ventre materno até aos doze meses. Criei a rede para colocar dentro do berço (Aconchego) e escrevi o livro (e-book) Mãe Terra: a mãe das mães que fala a respeito do toque amoroso. Aguardo sua opinião.